E o que é o jantar?

A ideia de termos que ter uma ementa diária para almoço e jantar é devastadora. Todos perguntam: E o que é o jantar? E o que é o almoço? Há pão? Há fruta? Em poucas e raras circunstâncias o verbo ser e haver correspondem  a não ser e a não haver, só por uma razão,Continue a ler “E o que é o jantar?”

Enterra-me! Enterra-o!

 Muitas vezes é após a morte que são reconhecidas as qualidades de uma pessoa. A ausência atribui um novo significado á relação que tínhamos com ela, o facto de não a podermos tornar a ver, de não podermos voltar a vê-la sorrir, de não podermos tê-la connosco tem este encanto de tudo o que possaContinue a ler “Enterra-me! Enterra-o!”

Dizer e fazer o que nos apetece é tão boommm!

Ela é assim, quando entra em qualquer espaço público, passa na rua ou olha distraidamente para alguém deixa um pouco dela. Diz “Bom dia” a com quem habitualmente se cruza, que para espanto dos próprios até chegam a olhar para o lado para se certificarem de que o cumprimento lhes era destinado, era para eles mesmos, porqueContinue a ler “Dizer e fazer o que nos apetece é tão boommm!”

Nas famílias há sempre alguém identificado pelos outros como…

 E porque hoje é quinta-feira, a minha rubrica “Detesto Rotinas”. Nas famílias quase sempre é assim, há um de nós que é aquele que todos identificam como tendo o ou um problema! A família habitua-se que aquele familiar tem comportamentos peculiares, que já todos esperam que aconteçam, e que se não acontecem acabam por acontecer,Continue a ler “Nas famílias há sempre alguém identificado pelos outros como…”

Conseguimos viver sem perfeição porque somos imperfeitos!

Daniela procurava ser perfeita em tudo o que fazia e isso trazia-lhe demasiada angustia e deceção. Ela acreditava que poderia contrariar os desígnios de que ninguém era perfeito, e a sua convicção era tão forte que lhe soava a real. Empenhava-se em tudo com o seu máximo, mas ainda assim tinha que se conformar comContinue a ler “Conseguimos viver sem perfeição porque somos imperfeitos!”

Trilhemos!!! Sim trilhemos!!!

   Trilhemos, sim trilhemos novos caminhos, sem horas mas com a paixão necessária a quem quer descobrir, a quem quer desvendar e a quem está disposto a deixar-se ir sem saber onde vai desembocar. Trilhemos com a certeza que tudo é preferível a ficar no mesmo sítio, no mesmo sítio de sempre não acontece nadaContinue a ler “Trilhemos!!! Sim trilhemos!!!”

Todos sabem dele, mas há um que finge não saber

 Quando estamos nas relações com os outros, sobretudo os que nos são mais próximos, de forma natural, adquirida e espontânea já (quase, quase sempre) se torna fácil perceber como o outro vai reagir perante aquilo que acabamos de fazer ou dizer. São interações diárias que estabelecemos, que provocam e estimulam reações em nós, e deContinue a ler “Todos sabem dele, mas há um que finge não saber”

Já alguma vez sentiu SAUDADES do que não aconteceu?

A Saudade é uma ausência, uma ausência de alguém, de algum momento ou de algum acontecimento. Mas esse alguém, esse momento ou esse acontecimento até podem nunca ter existido no concreto e ainda assim marcarem a nossa pele pela saudade do que nunca aconteceu, mas imaginámos e desejámos, mas a vida assim não o proporcionou.Continue a ler “Já alguma vez sentiu SAUDADES do que não aconteceu?”