Aceitar o que não podemos mudar.

O Xavier e a Arminda passam-me o seu cansaço e sentimento de desgosto pelo seu casamento de 34 anos. Relatam que o casamento se esgotou nos primeiros 7 anos, e assim, os restantes 27 anos foram por eles encomendados à Divina Providência. Como se nenhum deles conseguisse fazer algo mais pela sua relação, decidiram esperar.

 Esperar? Sim esperar que algum de nós mudasse, que conseguíssemos…

E o que foram fazendo? Na realidade pouco, mantemos dúvidas e zangas há anos, que nem essas conseguimos esclarecer.

 E como gostavam de estar agora? Como os casais “normais”: que conseguíssemos conversar, que tivéssemos atividades que ambos gostássemos, que nos acompanhássemos, que sentíssemos que cada um se preocupa com o outro…

Bem isso dos casais “normais” é difícil de pensar, porque a normalidade é o que é para cada um…

sim, mas a Dra. sabe, há sempre uma coordenadas, algo que nos orienta no conceito…

YM1A4676

Xavier, Arminda…

mas vocês algum dia chegaram a ser um casal assim, assim com essa “normalidade”?(Risos)

Bem visto, se calhar não…Então como podem pensar que o vão ser agora? Estão a romantizar a vossa relação e isso é que vos esgota não?

 O que vos impede de aceitar que o vosso casamento é assim? Com menos conversa, com menos coisas em comum, com mais desencontros, com menos intimidade…

Às vezes é necessário aceitar o que não conseguimos mudar, sob pena de estarmos sempre com expectativas que não se cumprem… e que atormentam…

Imaginem que aceitam que não têm um casamento desses que acham “normais”… como se sentem?

Aliviados! pelo menos não tínhamos que estar sempre a pensar no que não temos…

Ora aí está, então aproveitem o que têm, afinal ainda estão juntos, meso sem essa “normalidade”. Vivam a vossa! Da forma que melhor puderem…aceitando o que são e como são…

Alexandra Alvarez I Terapeuta Familiar I Contacto: 911 846 427

 

Publicado por Terapia Familiar e de Casal - Alexandra Alvarez

Olá, sou Alexandra Alvarez, mãe de 5 filhos, terapeuta familiar e de casal, formadora e supervisora. Faço consultas com famílias e casais para "fazer acontecer" relações positivas! Uma nova oportunidade, para que todos sejam ouvidos e para que todos possam ouvir, numa perspetiva de entendimento e reforço de competências. " Family trainer " (inspiração no personal trainer), num modelo aproximado de coaching familiar, parental e de casal! Com paixão!

Deixe uma Resposta

Please log in using one of these methods to post your comment:

Logótipo da WordPress.com

Está a comentar usando a sua conta WordPress.com Terminar Sessão /  Alterar )

Google photo

Está a comentar usando a sua conta Google Terminar Sessão /  Alterar )

Imagem do Twitter

Está a comentar usando a sua conta Twitter Terminar Sessão /  Alterar )

Facebook photo

Está a comentar usando a sua conta Facebook Terminar Sessão /  Alterar )

Connecting to %s

%d bloggers like this: