As perspetivas – Na sua opinião como podia o casal ter ultrapassado o conflito?

mãe_galobomELE: Saímos de casa já meio aborrecidos. Eu tinha estado a mandar mensagem e a publicar no Facebook e a Cristina queixou-se…estava a fazer as coisas todas sozinha. A miúda queria atenção e ela também esteve lá, mas a verdade é que eu também estava cansado. Fiz noite, cheguei às sete da manhã e às 12 levantei-me para ir com elas…mas não estava a 100%, pensei que ela percebia.

cropped-cropped-alex_recorte_pp.jpgELA: Sim, saímos de casa já amuados. Já sem falar, O Pedro esteve de turno, eu acordei 3 vezes durante a noite porque a Mariana chorava e só pelas 5h peguei no sono a sério. Como tínhamos ficado de ir aos meus pais e calculei que o Pedro estava cansado, às 9h, quando a miúda acordou, nem lhe disse nada e fui tratar dela sozinha.

Ele levantou-se às 11h30 e já estava tudo sob controle. Claro que eu penso que ele percebe que é altura de se chegar à frente, mas nada…e eu também não me apeteceu ter que dizer mais nada. Às vezes não apetece, é tão evidente.

ELE: Se estava a incomodar tanto porque é que ela não me disse? Começou a ter maus modos, a soprar pela casa e com indiretas e claro, percebi que a coisa estava a azedar…eu ainda cheguei a pensar que ela me estava a poupar, afinal não…era um teste… Ainda fui ter com ela a bem, dei-lhe um beijo e ela disse logo: Pedro agora não, estou em stress, vê é se fazes alguma coisa, já é tarde e nunca mais se sai de casa… daqui a nada já não vale a pena…

Mas qual era o stress? Se não estávamos às 13h nos meus sogros estávamos às 13h 30.

ELA: Ele sabe que quando vamos aos meus pais eles têm hora certa para comer. Se não estamos lá até às 13h fica tudo mal disposto. É o modo deles estarem. São mais velhos. Temos que respeitar. São mais velhos e a casa é deles , mas se nós não conseguimos tem que haver compreensão. Já andamos sempre a correr…que stress…afinal estávamos em lazer…

O Pedro não percebe que há horas, que a miúda também tem horas para comer…depois até parece que eu é que sou chata, implicativa…no fundo era só agilizarmos. Depois de lá chegarmos logo publicava o que queria, logo mandava mensagens…há que definir prioridades e perceber o que é importante…

ELE: Para mim o importante era que saíssemos de casa com sentimento de boa disposição. Com leveza, esperava que ela tomasse o café comigo, falávamos um bocadinho e depois lá íamos fazer o que era preciso, que eu acho que não era assim nada de especial, …mas não , tem que ser tudo na hora que ela entende e como ela entende…

Alexandra Alvarez I Terapeuta Familiar I Agendamentos: 911 846 427

Publicado por Terapia Familiar e de Casal - Alexandra Alvarez

Olá, sou Alexandra Alvarez, mãe de 5 filhos, terapeuta familiar e de casal, formadora e supervisora. Faço consultas com famílias e casais para "fazer acontecer" relações positivas! Uma nova oportunidade, para que todos sejam ouvidos e para que todos possam ouvir, numa perspetiva de entendimento e reforço de competências. " Family trainer " (inspiração no personal trainer), num modelo aproximado de coaching familiar, parental e de casal! Com paixão!

Deixe uma Resposta

Please log in using one of these methods to post your comment:

Logótipo da WordPress.com

Está a comentar usando a sua conta WordPress.com Terminar Sessão /  Alterar )

Google photo

Está a comentar usando a sua conta Google Terminar Sessão /  Alterar )

Imagem do Twitter

Está a comentar usando a sua conta Twitter Terminar Sessão /  Alterar )

Facebook photo

Está a comentar usando a sua conta Facebook Terminar Sessão /  Alterar )

Connecting to %s

%d bloggers like this: