A pedido…sim, também acontece! As crianças têm pai e mãe*

_mg_2169_pp

O Tribunal de Família e Menores, na pessoa do Juiz, deliberou que Sílvia e António beneficiam se fizerem sessões de terapia familiar com vista ao entendimento sobre aspetos de relevância para os cuidados e educação dos filhos que têm em comum.

Sílvia e António estão divorciados há 5 anos, e têm dois filhos em comum de 9 e 13 anos, que ficaram desde sempre à guarda de Silvia. Recentemente Silvia solicitou uma alteração ao regime de visitas sustentando que os filhos passaram a não querer estar com o pai, e que têm pesadelos e são acompanhados psicologicamente. Também não tem existido acordo naquelas que são decisões de particular importância na vida dos filhos. Relata que teve que pedir a intervenção da PSP numa das vezes em que o pai foi buscar os menores porque o mais novo não queria ir.

António não entende o motivo pelo qual poderá ficar privado do convívio com os seus filhos, justificando que esta é mais uma manobra de Sílvia para o afastar dos seus filhos. Acrescenta que também não concorda que Sílvia durma com o filho mais novo de ambos, pois considera que tal o prejudica gravemente. No dia em que a PSP foi chamada a intervir achou que foi despropositado pois se ele é pai os seus filhos, caso Silvia estivesse colaborante, só teriam que o acompanhar dada a sua menoridade. Não quer que os filhos voltem a passar por isso, nem o próprio.

Assim, em Tribunal terá que ser proferida uma sentença, mas perante as declarações contraditórias prestadas pelos progenitores, acrescendo os depoimentos dos menores, o Juiz não quer decidir sem que exista um parecer de outros técnicos.

Na Conferência de pais não se chegou a Acordo. É nesta circunstância que estes pais são encaminhados para um apoio em Terapia Familiar.

Pretende-se perceber da natureza dos factos sentidos por uns e por outros. As minhas sessões funcionam como um espaço neutro que poderá permitir construir um novo Trilho.

Ambos os pais têm direitos sobre os filhos e desejo de os exercer, mas o mais importante é que o desenvolvimento harmonioso dos menores e o seu superior interesse sejam acautelados.

Sim, é nesse sentido construtivo que vamos trabalhar! As crianças precisam efetivamente de um pai e de uma mãe, o casal marido e mulher não existe, mas o pai e a mãe vão existir sempre, É UM VÍNCULO INDISSOLÚVEL*

 

Alexandra Alvarez I Terapeuta Familiar, Parental e Conjugal

Clinica Biuti, em Alvalade. Consultas ao fim do dia. Telefone: 911 846 427

 

 

Publicado por Terapia Familiar e de Casal - Alexandra Alvarez

Olá, sou Alexandra Alvarez, mãe de 5 filhos, terapeuta familiar e de casal, formadora e supervisora. Faço consultas com famílias e casais para "fazer acontecer" relações positivas! Uma nova oportunidade, para que todos sejam ouvidos e para que todos possam ouvir, numa perspetiva de entendimento e reforço de competências. " Family trainer " (inspiração no personal trainer), num modelo aproximado de coaching familiar, parental e de casal! Com paixão!

Deixe uma Resposta

Please log in using one of these methods to post your comment:

Logótipo da WordPress.com

Está a comentar usando a sua conta WordPress.com Terminar Sessão /  Alterar )

Google photo

Está a comentar usando a sua conta Google Terminar Sessão /  Alterar )

Imagem do Twitter

Está a comentar usando a sua conta Twitter Terminar Sessão /  Alterar )

Facebook photo

Está a comentar usando a sua conta Facebook Terminar Sessão /  Alterar )

Connecting to %s

%d bloggers like this: