E se gritar? Porque não?

logo_final E se gritar? Porque não? Há alturas que não se aguenta, já não dá, é preciso exteriorizar e o grito pode ser terapêutico.

Não o grito com os outros, mas o grito de quem vai de carro até ao cimo da montanha e grita, grita a plenos pulmões, grita até não poder, mas grita e deita tudo para fora.

Socialmente temos que ser polidos, fazer tudo de acordo com o figurino, mas naquele trilho, lá longe, fora de tudo e de todos podemos fazer o que quisermos, sem censuras e sem medos, sem ninguém, só connosco: Nós e o Grito!!!

grito

Marilyn Minter
AAAGH!!, 1992

Se sentir vontade abra a janela do carro, deixe o vento bater-lhe no rosto e grite:

AAAGH!!!!!!!!

Louco? tem medo que o apelidem de louco? Loucura seria gritar com os outros, loucura seria não gritar e aguentar**** Qual é o drama?

Alexandra Alvarez I Terapeuta Familiar, Parental e Conjugal

 

Publicado por Terapia Familiar e de Casal - Alexandra Alvarez

Olá, sou Alexandra Alvarez, mãe de 5 filhos, terapeuta familiar e de casal, formadora e supervisora. Faço consultas com famílias e casais para "fazer acontecer" relações positivas! Uma nova oportunidade, para que todos sejam ouvidos e para que todos possam ouvir, numa perspetiva de entendimento e reforço de competências. " Family trainer " (inspiração no personal trainer), num modelo aproximado de coaching familiar, parental e de casal! Com paixão!

Deixe uma Resposta

Please log in using one of these methods to post your comment:

Logótipo da WordPress.com

Está a comentar usando a sua conta WordPress.com Terminar Sessão /  Alterar )

Google photo

Está a comentar usando a sua conta Google Terminar Sessão /  Alterar )

Imagem do Twitter

Está a comentar usando a sua conta Twitter Terminar Sessão /  Alterar )

Facebook photo

Está a comentar usando a sua conta Facebook Terminar Sessão /  Alterar )

Connecting to %s

%d bloggers like this: