A carta que gostava de escrever…mas é melhor não!

logo_final  Percebi que os teus olhos já não brilhavam mãe. Vi que o pai começou a estar ainda mais preocupado. Senti que os desacordos eram mais e maiores, do que o seu contrário, e, naquele dia, durante o lanche que tomávamos na pastelaria que fica ao pé do parque infantil, aquela em que o sol nunca entra, tu falaste no trilho da mudança. Eras cautelosa em cada palavra, evasiva, mas ainda assim percebi:

– Tenho andado a pensar em mim e no pai…não sei o que fazer…às vezes penso que é melhor seguirmos caminhos diferentes. Isto seria difícil para ti?

Que pergunta!!! Achei-a tão estranha…eu não sabia o tamanho dessa dificuldade! E hoje penso que tu não sabias o tamanho da dificuldade dessa pergunta. Senti que tudo podia mudar, não sei o que era o tudo, mas seria algo diferente com certeza.

De seguida reforçaste que sempre me amariam, e que eu continuaria a ser a predileção dos dois. A predileção perdida era entre vocês, nada tinha a ver com a predileção por mim. Essa era sólida, estável, para sempre. Convenci-me.

– Percebo mamã – e senti duas bolinhas brilhantes a soltarem-se e descerem escancaradas pela minha bochecha esquerda, contrariando o que eu dizia perceber.

A mamã pediu desculpa: Desculpa-me!

Diapositivo1

********Apertou as minhas mãos nas suas e disse-me que ia correr tudo bem**********

Eu tinha que acreditar! Só podia e só queria acreditar. A mamã devia saber o que dizia. Mas eu fiquei-me a pensar, fiquei-me a desandar daquela história sobre mim e sobre a minha família … foi por isso que não escrevi esta carta, e  optei per deixá-la aqui por escrever. Não queria preocupar mais ninguém com dúvidas que eram minhas, dúvidas do miúdo sobre decisões dos graúdos…

Alexandra Alvarez I Terapeuta Familiar, Parental e Conjugal

 

 

 

 

Publicado por Terapia Familiar e de Casal - Alexandra Alvarez

Olá, sou Alexandra Alvarez, mãe de 5 filhos, terapeuta familiar e de casal, formadora e supervisora. Faço consultas com famílias e casais para "fazer acontecer" relações positivas! Uma nova oportunidade, para que todos sejam ouvidos e para que todos possam ouvir, numa perspetiva de entendimento e reforço de competências. " Family trainer " (inspiração no personal trainer), num modelo aproximado de coaching familiar, parental e de casal! Com paixão!

Deixe uma Resposta

Please log in using one of these methods to post your comment:

Logótipo da WordPress.com

Está a comentar usando a sua conta WordPress.com Terminar Sessão /  Alterar )

Google photo

Está a comentar usando a sua conta Google Terminar Sessão /  Alterar )

Imagem do Twitter

Está a comentar usando a sua conta Twitter Terminar Sessão /  Alterar )

Facebook photo

Está a comentar usando a sua conta Facebook Terminar Sessão /  Alterar )

Connecting to %s

%d bloggers like this: